Liderar é um talento nato ou existem formas de perseguir esse objetivo?

Esqueça aquele papo de que todo líder nasce líder. Imagine se todo talento precisasse, necessariamente, ser nato? E imagine se as pessoas se “escorassem” apenas em seus talentos naturais para fazer as coisas na vida? Alguém que nasce com talento para a música, por exemplo, terá que estudar muita teoria para compreender como funcionam as estruturas de melodia, ritmo e harmonia. E o mesmo acontece com a liderança. Existem algumas características para ser um bom líder e sim, é possível aprendê-las se você tiver vontade.

É claro: esteja preparado para enfrentar desafios diários, principalmente se você não tem muita intimidade com situações de comando. Aliás, aproveitamos para, antes de falar das características essenciais de um líder, mostrar uma imagem bem interessante que encontramos na fanpage da Endeavor Brasil.

Os formatos de trabalho vêm mudando nos últimos anos e, consequentemente, as relações profissionais também. Hoje, uma empresa que acompanha essa evolução não mantém aquela enorme barreira que existia antigamente entre o “patrão” e o funcionário. Hoje já se entende que todo colaborador é parte ativa de uma companhia e o diálogo é essencial para que os resultados positivos aconteçam.

Bom, então vamos debater tópico por tópico as características “mais esperadas” de um líder:

1. Confiar e passar confiança para a equipe

A confiança deve ser a base de qualquer tipo de relacionamento, então ela deve existir de ambos os lados. Se você for líder deve demonstrar que confia no trabalho dos seus funcionários e mostrar todos os dias que eles podem confiar em você também. Como a imagem acima já indica, não é papel do líder apenas fiscalizar. Liderar vai além disso.

Ainda no quesito confiança, é seu papel passar tranquilidade para os funcionários. Claro, você não deve esconder fatos importantes, mas se a empresa estiver com problemas, por exemplo, você deve explicar quais são eles e como será possível superá-los.

2. Ser capaz de delegar

Ao assumir um cargo de liderança e ficar por dentro das demandas, pode ocorrer de você achar que precisa tomar a frente de todos os projetos. Mas, além de não conseguir dar conta de tudo, ao querer fazer tudo sozinho você acaba frustrando seus funcionários. Lembre-se: eles estão ali para te ajudar e faz parte desse papel delegar tarefas.

Também não tenha medo de pedir ajuda quando necessário. Por maior que seja a sua experiência, ao começar a trabalhar com uma nova equipe, um novo setor ou uma nova área de atuação, você precisará ficar por dentro das demandas.

3. Conseguir aproveitar as melhores qualidades de cada profissional

Para ser capaz de delegar com eficiência, você precisa conseguir identificar os pontos fortes de cada profissional a sua disposição. Pode ser interessante fazer uma reunião inicial com a equipe para tentar identificar essas qualidades, ou você pode optar por uma conversa individual.

Ao identificar as características, explique para eles como você imagina que o trabalho pode fluir melhor e porque designou cada tarefa para cada um. Também é preciso ser flexível para perceber quando uma aposta não deu tão certo e que algo precisa mudar.

4. Orientar e acompanhar os projetos

Existe uma grande diferença entre mandar e orientar. Como líder, é provável que você tenha também a função de delegar as tarefas. Você pode simplesmente determinar que um funcionário faça uma determinada tarefa, mas o ideal é que você saiba orientá-lo nessa função.

O líder é um guia e deve estar presente durante todo o processo de realização de um projeto. Voltando ao tópico 1, mostre para sua equipe que ela pode confiar em você e que você estará por perto durante todas as etapas.

5. Assumir que as falhas acontecem

Antes de tudo, é preciso entender que até um excelente líder terá tombos pelo caminho. Nem sempre você fará a aposta certa e está tudo bem, contanto que você saiba assumir seus erros. Você vai mostrar muito mais força ao dizer “isso foi uma falha minha” do que se tentar encontrar justificativas mil para responder por um problema. Seja franco e analise o que você deve aprender com o que passou.

6. Ter potencial para contagiar a equipe

Nem tropeços podem desanimar um líder. Lembre-se sempre que você é parte essencial para que a sua equipe esteja motivada. Passe confiança e contagie-os! Um ambiente de trabalho com uma boa energia é ponto crucial para a produtividade.

Quando novos projetos aparecerem, mostre a importância deles e faça com que os colaboradores fiquem empolgados com as novidades. Mas, claro, isso vai depender do quanto você estiver excitado com o que vem pela frente.

7. Assumir que sempre há algo novo para aprender

Não é seu dever saber tudo, mas sim estar aberto para aprender tudo o que você ainda não conhece. Você pode já ter liderado diversos setores diferentes, mas cada vez que tiver de ir para um novo, terá que ter humildade para assumir que há muito a conhecer.

8. Entender seu poder de decisão

E, por fim, é preciso compreender o peso do seu poder de decisão. Ao mesmo tempo em que você deve estar próximo dos colaboradores, sem barreiras e muitas formalidades, você precisa ter consciência de que muitas vezes o poder de decisão será unicamente seu.

Então, você está preparado para correr atrás desse pacote completo? Como já dissemos lá no início do texto, você não precisa se sentir completamente pronto ou ter um talento nato para liderar.

Aos poucos você construirá o seu perfil e a sua trajetória como líder, e esse é um trabalho que não tem fim nunca!

Fonte: coworkingbrasil.org

Compartilhar

Comentários

Leave a reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *